Categorias
Blog Publicidade

A Marca é a Alma do Negócio

A marca é a alma do negócio” assinou Daniel Padilha, sócio brandeiro da Pyrsona brandhouse, numa entrevista sobre marcas para o Vitamina Publicitária. Por que existem consumidores que fazem a tatuagem do símbolo da Apple? Como alcançar este relacionamento? Foi pensando em algumas destas questões que entramos em contato com um profissional para conversar sobre branding. Padilha é graduado em Design e resolveu mergulhar no MBA executivo em Gestão de Marcas e revelar sua paixão pela área. Em um papo bem descontraído conseguimos conhecer um pouco deste trabalho.

As empresas estão cada vez mais interessadas no serviço de Gestão de Marcas para se aproximar dos consumidores. O que envolve o trabalho com marcas e quais são as responsabilidades de um profissional desta área?

O branding envolve todo o universo de uma marca. Principalmente o alinhamento dos valores e diretrizes que servirão de guia para qualquer decisão estratégica que a empresa possa tomar. Todos os pontos de contato são orientados pelo posicionamento, este, que tem como parte de sua essência o objetivo de inspirar conexões internas e externas. A gestão de marca une de todas as áreas, o marketing, design, administração etc. Cada profissional tem a responsabilidade de transformar o intangível da marca em visível, e ele nunca irá obter resultados diferentes fazendo as coisas da mesma maneira. Sempre precisamos nos perguntar qual o propósito da marca? O que a torna especial? Que benefício traz aos clientes? A marca é a alma do negócio, e a inspiração para trabalhar com ela parte das pessoas que a constrói.

Por que as marcas devem se relacionar?

Porque as marcas são vivas. É muito importante gerar troca de experiências entre marcas e pessoas, é inspirador! As pessoas nunca estiveram tão sedentas por participação, conversação e compartilhamento. Mas acredito que mais que criar relacionamento, as marcas precisam criar envolvimento, conectar necessidades dos consumidores com as necessidades da empresa! Ainda mais agora que vivemos o momento social media, então sejamos sociais. 😉

Como as marcas respiram dentro das mídias sociais?

Depende de cada uma, não existe regra ou receita! Cada marca possui uma gestão pensada somente para ela. Mas acredito que o maior erro de uma marca é de usar todo o poder infinito das mídias sociais e transformá-la numa plataforma de SAC 2.0. As pessoas querem mais do que isso, elas querem viver experiências, e ela é o “ar” que as marcas precisam dividir com o público.

Qual deve ser a preocupação de um empresário com uma marca?

A inovação. O ato de introduzir algo novo, porém a empresa precisa estar preparada, né!? Não utilizar a inovação como uma regra, mas força impulsionadora para estruturar os principais caminhos para se construir um relacionamento forte e duradouro. O importante é confiar e acreditar na essência da gestão da marca, se não existe, ou não parte do ponto mais alto da pirâmide, a probabilidade da gestão ser fraca e ineficiente é muito maior. Se os colaboradores não acreditarem, não adianta, nunca existirá branding.


Conte-me um pouco sobre a brandhouse Pyrsona e sua atuação dentro dela.

A pyrsona é o resultado de uma fusão singela. Quando estava no segundo ano da faculdade resolvi unir forças com alguns amigos e montar um estúdio de design, e foi assim por 4 anos. Porém, não sentia que os nossos serviços realmente ajudavam marcas a serem construídas! Fui atrás de algo que fizesse sentido para nós e nossos clientes, que unisse tudo, como um grande abraço! Usei o ano de 2009 para me especializar em gestão de marcas, estruturar uma nova empresa, nova marca e uma metodologia de trabalho que tem como espinha dorsal, a marca. No final do mesmo ano levei o projeto para uma agência parceira e desde então estamos juntos. Somos 5 sócios, cada um com um foco. No meu caso, a energia é investida na construção estratégica de marcas e relacionamento! 🙂  [Livro da Marca Pyrsona http://issuu.com/pyrsona/docs/pyrsona-brandbook]

Sei que você também dá aulas de Gestão de Marcas. Qual é a dinâmica que você trabalha dentro de sala de aula?

Eu sempre busco dividir um pouco (ou muito) dessa paixão que tenho pelo universo das marcas com os alunos. A ideia é sempre repensar a marca e sua gestão, deixar claro o que é uma marca, o que não é, e o seu papel no dia a dia das pessoas.

Para quem quiser entrar em contato com nosso entrevistado Daniel Padilha, pode segui-lo no Twitter através do @danfpadilha

Comente: