Categorias
Blog Variedades

Mídia e seus efeitos limitados

Os “Efeitos Limitados” é umas das teorias mais estudadas pelos comunicólogos, é através dessa teoria que conseguimos enxergar a força dos ícones na mídia e a influencia que eles obtêm na massa popular.

Sendo assim é fácil perceber que a ideologia midiática é trazer para o seu lado às cabeças que movem a sociedade. Um breve exemplo. Normalmente o seu time de coração tem uma imensa influencia do seu pai. É nessa ideia que a mídia faz o seu jogo. Ídolos da televisão, dos campos e dos palcos, são os mais usados na mídia. Pois traz uma sensação de conforto por saber que o mesmo personagem de grande sucesso usa o mesmo produto que o seu.

Na publicidade contemporânea, este recurso é extremamente usado, com a cultura de massa em alta no mercado as propagandas estão cada vez mais popular independente do seu publico alvo.

Na atualidade Neymar é um dos mais observados e mais idolatrados, com 20 anos ele já conquistou tudo que alguém almeja. Em pouco tempo a mídia transformou sua imagem e hoje ele influência uma nova geração de futuros jogadores, torcedores e simpatizantes do futebol. Desta forma o mercado faz abuso dela. Podemos afirmar que Neymar seja o maior ídolo no Brasil hoje.

Um dos esportes que mais esta crescendo no mundo é o MMA mixed martial arts (artes marciais mistas). O maior lutador de MMA do mundo Anderson Silva, virou alvo da mídia e hoje a sua influencia na sociedade traz grandes retornos pelas marcas patrocinadoras do grande lutador.

O que podemos afirmar que a teoria esta com razão. A mídia te influencia, e você entra no seu jogo dela.

Por Daniel Zollinger Chohfi

Daniel Zollinger Chohfi é empresário, publicitário, e ajuda empreendedores a construírem seus negócios com a internet.

Há mais de 15 anos no mercado, já foi dono de agências de marketing digital no Brasil, morou nos EUA, e é editor-chefe do Vitamina Publicitária, eleito como um dos melhores blogs de marketing pela Hubspot. Recentemente foi destaque na Copyblogger, considerada a bíblia do marketing de conteúdo pela VentureBeat.

Comente: