Categorias
Blog Digital

Melhore o seu marketing com Growth Hacking

Growth Hacking é lançar o seu produto da forma mais barata possível, única e diferenciada de seus concorrentes.

O que é Growth Hacking?

growth
A busca por growth hacking é crescente.

 

Há pouco mais de 1 ano atrás, Dave Chaffey perguntou em um post: “O que as empresas podem aprender com growth hacking?”.

Esta foi uma das primeiras matérias que introduziram a abordagem growth hacking, que se originou em negócios online de startups e definiu como as empresas mais tradicionais estão criando growth hacking para apoiar a otimização de conversão.

Neste post vou apresentar alguns conceitos e informações através de uma resenha mais profunda de um livro sobre growth hacking que li recentemente.

No livro Growth Hacker Marketing, Ryan Holiday explica mais sobre esta nova abordagem que está sendo aplicada nos departamentos de marketing de empresas de alto nível tecnológico e mercadológico.

É um questionamento sobre como os departamentos de marketing tradicionais operam. De acordo com o Google Trends, o aumento da procura associada a este novo conjunto de habilidades está em ascensão e está aqui para ficar.

Mas, por que o growth hacking se torna essencial para as organizações funcionarem de agora em diante?

Vamos lá:

#1. Adeus à economia industrial, olá economia conectada

A era da Revolução Industrial e das muitas organizações (e suas culturas) está em declínio.

Em seu lugar está uma economia conectada que tem proporcionado o estímulo para a colaboração, a iniciativa para derrubar o que eram “barreiras de entrada em mercados” e a destruição de monopólios (por exemplo, a indústria da música e da edição de livros).

#2. O impacto da recessão global

A percepção de milhares de pessoas e dezenas de empresas está despertada para esta nova era em que vivemos agora, um novo amanhecer de uma interconexão, chamada de economia global.

É cada vez mais fácil encontrar uma maneira e uma alternativa mais barata para o “race to the bottom”.

De acordo com a revista de negócios Forbes: “Em torno de 8,4 milhões de postos de trabalho nos EUA desapareceram entre Janeiro de 2008 a Dezembro de 2009″, grande parte, devido à falta de competências de funcionários digitais ou simplesmente por que não haviam oportunidades ou exigências de habilidades tradicionais dentro das empresas.

A visão Growth Hacker Marketing

Em seu livro, Holiday define o cenário fornecendo uma visão geral da cultura organizacional e do despertar para a economia conectada.

Ele lista uma série de organizações bem-sucedidas que adotaram essa forma de trabalho (Dropbox, Mailbox, Twitter, Facebook, Instagram) com um número fascinante de casos profundos estudados durante todo o livro.

O livro é dividido em 4 principais áreas: product market fit, encontrando seu growth hack, ser viral e conservação / otimização.

Passo #1: product market fit

PMF é o momento em que o produto e seus clientes estão em perfeita sincronia um com o outro.

E a melhor maneira de chegar a este objetivo final é começar com um MVP (produto mínimo viável) e melhorá-lo com base no feedback – não tenha medo de lançar o produto e aprender com o seu público sobre as formas de melhorar o seu valor. Abrace o medo.

Na época mais recente dos produtos, nós éramos responsáveis pelo produto ou equipe de desenvolvimento de negócios, mas PMF convida a equipe de marketing para ser o componente central no desenvolvimento e refinamento de criação do produto e lança-lo através do feedback de seu público.

Passo #2: encontrando seu growth hack

Conheça o seu público. Isso é essencial para fazer a sua audiência ciente do produto/serviço que você está lançando.

A compreensão de quem é seu cliente, como ele interage através do digital e fica consciente sobre o seu negócio são os principais atributos necessários.

Você está visualizando levar seus produtos ao mercado de uma forma barata, eficaz e única.

Por exemplo para lançar o produto Dropbox, os fundadores criam um vídeo de demonstração para explicar como usar o serviço.

Mas ao invés de contratar uma empresa de alta produção, a Dropbox filmou o próprio vídeo e sabia onde postá-lo (ou seja, onde o seu público potencial estaria) e publicou no Digg, Slashdot e Reddit.

Passo #3: seja viral

Growth Hacking é lançar o seu produto da forma mais barata possível, única e diferenciada de seus concorrentes.

Para isso, se espalhar de forma viral é um componente central e você estará retransmitindo seus usuários para ajudar a espalharem a palavra.

Todo mundo quer lançar o próximo anúncio viral para divulgar o seu produto ou serviço, mas você está tornando o seu produto / serviço mais fácil para ser espalhado. O mais importante é: vale a pena falar sobre ele?

A Dropbox construiu um dos programas de referência mais eficazes e virais do mundo das startups: eles ofereceram espaço em disco para todos os usuários que convidassem amigos para o Dropbox e se inscrevessem.

Ao introduzir esta oferta, o número de novos usuários aumentou em 60%, com mais de 2,8 milhões de convites diretos por mês.

Passo 4: retenção e otimização

No marketing tradicional, o profissional de marketing traz clientes potenciais.

No mundo do growth hack marketing é responsabilidade da área de marketing reter, compreender e interagir com seus potenciais clientes e converter esse cliente através do uso da análise de dados.

Ao invés de gastar mais e mais dinheiro em geração de leads externos, o foco é a otimização interna de onde você pode aumentar a sua conversão de venda.

O papel do growth hacking é otimizar o tráfego de entrada e o foco em retenção.

Business Analytics

O growth hack está para ficar

Este é um livro que com certeza recomendaria. É um livro que ressoa perfeitamente com a economia digital e conecta todos nós que estamos operando. Mais importante, fornece um guia em 4 passos de principais atributos a considerar para aplicar técnicas de invasão de Growth para o mercado.

Como o autor Thomas Friedman afirmou em seu livro, O Mundo é Plano: “por volta do ano 2000 entramos todos em uma era nova – Globalização 3.0 – que está encolhendo o mundo de um tamanho pequeno para um tamanho minúsculo e nivelando o campo de jogo ao mesmo tempo“.

Friedman referiu a Globalização 1.0 como dos países globalizantes e a força dinâmica na Globalização 2.0 eram “empresas globalizadas”. A força dinâmica na Globalização 3.0 é o “novo poder para as pessoas de colaborar e competir globalmente”.

___

Este artigo foi adaptado do original, “Improving marketing using Growth Hacking”, do Smart Insights e visto em “Aprimore o seu marketing usando growth hacking” do The Growth Hacker. Alias, vale a pena se inscrever na news deles.

Foto do gráfico de crescimento via Shutterstock.

Por Daniel Zollinger Chohfi

Daniel Zollinger Chohfi é empresário, publicitário, e ajuda empreendedores a construírem seus negócios com a internet.

Há mais de 15 anos no mercado, já foi dono de agências de marketing digital no Brasil, morou nos EUA, e é editor-chefe do Vitamina Publicitária, eleito como um dos melhores blogs de marketing pela Hubspot. Recentemente foi destaque na Copyblogger, considerada a bíblia do marketing de conteúdo pela VentureBeat.

Comente: