Categorias
Blog

MNM 27: CurAÇÃO CRIAtiva Ep1

Assista o 1º episódio do Curação Criativa, o show essencial para você que é designer freelancer e confira 5 tendências de design para 2018.


Neste primeiro episódio você vai conferir:

Transcrição

O que que foi o melhor da semana para você, no mundo do designer freelancer? No mundo do criativo e empreendedor. É sobre isso que a gente vai falar aqui hoje.

Fala galera! Seja muito bem-vindo ao Curação Criativa, o nosso show para profissionais, empreendedores, criativos, designers freelancers.

Bom, então a gente vai começar com o 5 Graphic Design Trends para 2018.

Então, esse daqui foi um artigo que foi publicado pelo Snappa. O Snappa é como se fosse um canva.com que você provavelmente deve conhecer, como um design criativo, às vezes nós temos até um certo preconceito, fala “não, pô, eu tenho que criar no Photoshop, eu tenho que criar na Suite adobe, eu tenho que criar na mão, não posso usar um programa aí, por exemplo, que nem o Canva ou o Snappa.”

Mas, na verdade, hoje estamos naquele negócio de fazer as coisas acontecerem. Então, se você puder usar alguns template. Por exemplo, templates, quando falávamos de templates de site há 10, 15 anos atrás era um absurdo, ninguém queria nem imaginar em fazer um site com template, tinha que ser feito do zero. Hoje em dia é base você usar no mínimo um framework, você não vai desenvolver um site do zero mesmo, um WordPress, um CMS completo do zero, usamos no mínimo um framework, um template.

E o Canva e o Snappa te dão aí bons templates, para você criar o que você quiser, como artes desde um cartão básico de visita, até um folder bacana, um convite, logo, eles têm artes para logo legal, bases para logos legais.

E aí quando você usa o conceito, porque nós sempre falamos, nunca é a ferramenta, é o conceito, a ferramenta só serve para aplicarmos o que nós sabemos. Então, se você puder usar, ou quiser, enfim, fica a dica, o Canva e o Snappa são ferramentas muito legais.

E o Snappa lançou um artigo no blog essa semana muito interessante, aonde eles falam sobre essas intendências sobre design para 2018. O blog do Snappa é blog.snappa.com, e aí eles colocaram o seguinte: 5 tendências de design gráfico para 2018.

Loud, Popping, Bright colors. Eu acho que faz muito sentido o que eles estão falando aqui. Então, o que que eles estão falando aqui, grite alto, fale alto, se destaque, tem que se destacar de alguma forma. Então, eles dão exemplo aqui do Spotify. E olha que legal como o Spotify realmente tenta se destacar com uma tipologia grande, realmente corajosa, Bolt, digamos assim. Então, tem um título grande, um subtítulo grande também, e aí eles colocam aqui, bônus, transição de cores, então um dégradé, que era uma tendência que nós vimos no mundo, indo do 3D, do dégradé, para um flat design lá em 2013, 2014, e aí entrou o IOS 7 se não me engano, que era inteiro flat design.

E agora a gente vê uma tendência de voltar um pouco a se destacar, quando você consegue usar uma transição de cor bacana, bem feito. Claro que não é tão simples de fazer, tem que fazer bem feito, não vai fazer uma coisa anos 2000, mas dá para fazer bem feito.

Então, o logo do Instagram, por exemplo, é um bom exemplo.

Fotos autênticas, imagens autênticas, gráficos customizados. Então, ele fala aqui o seguinte: bancos de imagens são bons, mas já está tão fácil você produzir as suas próprias imagens, já está tão fácil você produzir as suas próprias fotos, os seus próprios vídeos, que você mesmo tem hoje na sua mão no celular uma capacidade muito grande de poder produzir um conteúdo bacana, você mesmo, sem precisar comprar imagens de bancos pagos, às vezes são imagens muito boas, já são imagens que vem com o tratamento básico e podem ajudar bastante, mas são imagens que podem estar no seu concorrente, e ela não mostra exatamente o diferencial da sua marca.

Então, claro que você pode usar um filtro naquela imagem, e aí se diferenciar com aquele filtro, mas você tem que tentar colocar a sua identidade visual realmente, a sua marca e não só o logo, mas as cores, a tipologia, o seu ângulo, e esses detalhes invisíveis que existem, podem estar no seu conteúdo, devem estar nas suas artes, nas suas imagens e eles fazem a diferença, para que as pessoas realmente sintam e experienciem a sua marca de uma forma diferente. Então isso é importante.

Então as imagens de bancos de imagens, as pagas já são excelentes, mas as grátis muitas vezes são boas às vezes, – e nós já usou muito, e a gente ainda usa muita coisa de bancos de imagens grátis, às vezes você acha imagens que você realmente não acha em lugar nenhum, ângulos, perspectivas diferentes. Mas elas podem atrapalhar na sua comunicação e deixar a sua marca muito chata, digamos assim, muito padrão.

E o que o Snappa está colando aqui como a tendência é você se destacar, você tentar se destacar e conseguir se destacar com a sua originalidade, com a autenticidade do seu conteúdo. Então, uma câmera hoje, nós estamos gravando aqui com uma câmera da Canon, uma câmera relativamente barata, hoje você não precisa mais investir dezenas de milhares de reais para comprar um bom equipamento, um equipamento que nem o que nós estamos usando aqui agora custaria dezenas de milhares de reais há algumas décadas atrás, há algum tempo atrás.

Inclusive, publicamos faz pouco tempo um artigo falando que o nosso primeiro curso no Vitamina foi gravado com um Iphone e ficou razoável, ficou bom, ficou ok, e o mais importante é fazer a coisa acontecer.

Então não precisa ter medo de ir lá, gravar o seu conteúdo, seja um vídeo, uma foto e editar, por exemplo, no próprio aplicativo da Apple, o Imagens, o aplicativo da Apple, principalmente no computador, já está show de bola, você tem curvas, você tem saturação, brilho, contraste, você tem uma série de elementos que você só tinha antigamente em um Photoshop, em um Lightroom ou em programas mais avançados. Hoje as próprias ferramentas mobile, – dá uma boa discussão aí se é mobile ou é mobile, adoro essa discussão.

Mas você tem hoje no celular ferramentas simples e que resolvem a coisa, que já tem as funcionalidades básicas. Então não precisa, “eu só vou conseguir fazer isso quando eu conseguir comprar a Suite da Adobe de criação.” Você vai conseguir fazer provavelmente em formas melhores ainda, mas você tem hoje a capacidade técnica, as ferramentas técnicas disponíveis, é mais questão de ir lá e querer realmente fazer.

E às vezes a coisa ter mais recursos do que você tem conhecimento técnico pode te atrapalhar. Isso normalmente acontece. Porque se você tem lá três ferramentas, por exemplo, brilho, saturação e contraste, você só tem que mexer nelas, você só tem aquilo lá para mexer, você vai focar só naquelas três ferramentas, e vai tirar o melhor possível do brilho, da saturação e do contraste. Mas se você tiver mais um monte de outras ferramentas você vai começar a usar um pouco de todas, mas não vai acertar exatamente o brilho, a saturação e o contraste. Então, às vezes menos é mais.

Layouts únicos. Aí ele fala assim, “2018 é o ano de ter designs que se destacam.”

Então, esse design aqui me parece muito um design de 1999, quando a gente fazia sites no FrontPage, eu achei que não foi um exemplo feliz, mas é interessante. Por exemplo, aqui ele mostra um design um pouco mais diferenciado, interessante.

Então, realmente, coisas diferentes, qualquer coisa que standout, qualquer coisa que se destaca em meio de sites muitos parecidos, é uma boa tendência.

“Design Elements and Overall Styles.” Então ele fala que elementos de design, então figuras geométricas, por exemplo.

Isso daqui é interessante porque nós fomos muito para coisas abstratas, então se você tenta usar alguma coisa um pouco mais geométrica, é que nem ele põe aqui, Shapes, pode standout, pode te diferenciar.

Tipografia. Tipografia é fundamental, e aí tem umas tendências do web design, design, que fala, começa pela tipografia, tipografy first. Isso é um negócio muito legal também, você pode iniciar pela tipografia. E o que eles estão colocando aqui então é que a tipografia em primeiro lugar. Então fontes grandes, maiores, e fontes mais ousadas, mais corajosas.

Então realmente, hoje a tipografia é fundamental, porque o menos é mais e se você consegue ter um balanço legal do seu design com tipografia, você consegue transmitir a sua mensagem melhor. É o que a gente chama de ruído de comunicação. Então quanto menos ruído de comunicação você tiver, quanto mais clara for a sua mensagem, melhor. E aí a tipografia ajuda você a focar na mensagem e não ter elementos por trás daquele design, por exemplo, da fonte, que atrapalhe a leitura. Não que uma coisa tenha total a ver com a outra, mas faz sentido. Então, se eu trabalhei tanto em a tipografia estar perfeita, que não faz sentido eu atrapalhar ou manchar ou adicionar um ruído nesse layout com uma imagem por trás. Então quando você se preocupa com a tipologia, você melhora o layout como um todo.

Então iniciar com a tipografia, não é só isso, quem trabalha com design first, não é só isso que eu estou fazendo, é só um resumo, mas é uma tendência legal.

E aí Moving Visuals. Então, ele dá aqui animações e cinemagraphs.

Esse artigo aqui, “A reinvenção do jornalismo. (Spoiler: É hora de abaixar o topete, mas de levantar a cabeça.). Eu achei muito legal, é desse Leandro Beguoci, é o projetodraft.com. E eu achei um conteúdo assim, nota 10, não me parece ser um conteúdo novo. Não, na verdade, 13 de maio de 2015, mas ele já estava fazendo uma discussão muito interessante sobre o jornalismo, para onde que o jornalismo está indo. Então devemos começar a pagar por conteúdo. Ele deu um dado aqui que 1% dos assinantes dos grandes jornais estão pagando por conteúdo, que é um número que parece que irrisório, mas a quantidade de assinantes dos grandes jornais, da mídia, é bem significativo.

Então, já me parece algo, uma tendência, já me parece ser para onde estamos indo, não que as grandes mídias, que os grandes jornais só vão trabalhar dessa forma, mas você, como um designer criativo, como um freelancer pode e deve começar a pensar em cobrar por conteúdo também. E é para onde estamos migrando aqui com o Vitamina Publicitária também já há algum tempo, desde que iniciamos os cursos, assinatura dos nossos conteúdos.

Então vale a reflexão. Aqui um conteúdo muito bacana, e eu vou deixar todos os links aqui para você assinar depois.

E, para finalizarmos, hoje eu vou pegar só três indicações aqui no nosso Curação Criativa. É um projeto piloto, um episódio piloto, então é mais para você ver aí como é que está o negócio, se o negócio está legal. Manda o seu feedback para nós, vai ser fundamental.

Pegamos aqui um exemplo. O Jornada do Marketing Digital, esse rapaz aqui, o Rodrigo Oliveira. Então, no jornadadigital.com.br e o artigo está muito bacana, fala sobre iscas digitais. Ele dá várias dicas de iscas digitais e como é importante usá-las, que é um nome terrível, mas que chamamos de uma propina ética, que é um outro nome terrível, mas é business é negócio que estamos fazendo aqui.

Então, apesar de você dar um conteúdo, normalmente para conseguir a atenção das pessoas, ou dar algo de graça, seja uma consultoria, alguma consultoria grátis, seja um e-book, seja um curso, seja um newsletter por e-mail, de curação, qualquer coisa, você está trocando isso com um e-mail, e o objetivo é que você tenha o e-mail dessa pessoa para continuar se comunicando. Esse que é o objetivo. Então uma isca digital é algo importante.

Vão ficar todos os links aqui. Muito obrigado pela sua audiência, espero que você tenha gostado desse episódio, um primeiro episódio piloto e nós vamos começar a publicar mais desses conteúdos aqui de curação. E por isso que é fundamental que você dê o seu feedback.

E também manda as suas indicações de conteúdo, manda as suas indicações de conteúdo porque nós vamos começar a falar sobre elas aqui. Na verdade, isso daqui é algo em conjunto, é algo feito com carinho e o seu carinho com o show vai fazer diferença. Então você realmente entrar em contato, mandar as suas sugestões, mandar as suas sugestões de pauta, uma sugestão que você escreveu, um artigo que você viu na internet, pode ser um post, pode ser uma imagem no Instagram, pode ser um vídeo no Youtube, pode ser qualquer coisa, um podcast, um áudio, qualquer coisa que você como um design, freelancer, um criativo empreendedor viu, gostou e quer falar.

E fica aí a última dica bônus: é que a Adobe atualizou a sua Suite essa semana, então entrou aí com a versão 2018 de vários aplicativos, então Photoshop, Lightroom, o Adobe XD saiu do beta, que é o experience design saiu do beta, e é um aplicativo muito bacana para quem usava o Fireworks, o Dreamweaver antigamente, que ainda são ferramentas que funcionam muito bem, mas se você quer tentar algo diferente, a Suite do Adobe atualizada está muito bacana, parabéns aí para Adobe.

Pessoal, muito obrigado aí pela audiência, nos vemos no próximo episódio. Um abraço.

Episódios Futuros

Por Daniel Zollinger Chohfi

Daniel Zollinger Chohfi é empresário, publicitário, e ajuda empreendedores a construírem seus negócios com a internet.

Há mais de 15 anos no mercado, já foi dono de agências de marketing digital no Brasil, morou nos EUA, e é editor-chefe do Vitamina Publicitária, eleito como um dos melhores blogs de marketing pela Hubspot. Recentemente foi destaque na Copyblogger, considerada a bíblia do marketing de conteúdo pela VentureBeat.

6 respostas em “MNM 27: CurAÇÃO CRIAtiva Ep1”

Show de bola!
Apesar de ter um tempo maior do que os vídeos que costumo abrir, tem uma linguagem leve e traz um conteúdo bem interessante.
Além disso, o modo de falar não é cansativo, tem um ritmo de conversa informal que torna a informação agradável.
Parabéns!

Adorei!
Acho bacana esse tipo de conteúdo porque passa um resumo e a gente corre atrás do que mais interessa.
Já estou esperando pelos próximos 😉

Beijos

Comente: