Como Trabalhar Como Freelancer Criativo

Você sabe como trabalhar como freelancer e viver da sua paixão ganhando o que merece?

Se você acha que trabalhar como designer freelancer ou criativo empreendedor é impossível, lembre-se de quantos exemplos que já conseguiram e que a cada dia surgem novos. Você tem que o que precisa para ser o próximo. Vamos lá?

São poucos que conseguem parar de desperdiçar tempo escrevendo propostas que os clientes não aceitam, negociar preço, evitar problemas no meio dos projetos, pagamentos atrasados, inadimplência e prazos perdidos.

Alguns não sabem qual é a sua verdadeira paixão, outros como começar a viver como freelancer ou criar seu empreendimento e muitos como levar seu negócio para o próximo nível.

Apesar de não existirem fórmulas mágicas, aprender com os erros dos outros é crítico para acelerar esse processo.

Além de adoçar o seu otimismo e lembrar que o copo está sempre mais cheio do que vazio, seja bem-vindo(a) a história de “V”. O sonho de V é encontrar sua paixão na carreira e aprender como viver dela.

Se você também quer dar o próximo passo na sua jornada e saber saber se V conseguiu, acompanhe a história:

1. Lembre-se do que você gostava na infância

Quem nunca respondeu uma questão de prova, aquela que não sabia a resposta, fazendo um desenho?

Ou até rabiscar alguma coisa no verso? Pois é, quem gosta de desenhar desde pequeno dá asas para suas criações em qualquer lugar. Foi assim que V se destacou na sua turma ainda criança.

Alguns professores ficavam irritados e mostravam os desenhos na sala com um tom bem severo. Outros até gostavam, achavam criativo, mas alertavam para a importância de estudar mais para responder às questões da maneira correta.

No fim, V até se dava bem em todas as matérias, mas a que realmente gostava era artes.

Você consegue pensar na imagem antes de desenhar, não é mesmo? Você não desenha só pra ver o que acontece. Já sabe onde vai chegar no fim.

Foi isso que disse um de seus professores, quando ainda estava na 5ª série.

Só que o tempo vai passando, os desenhos vão ficando de lado, e os estudos de matemática e história tomam cada vez mais a rotina de V, que de uma hora para outra para de fazer o que mais gostava.

A adolescência chega e com ela a responsabilidade de fazer o vestibular e escolher o curso que fará na faculdade. V se sentiu perdido nessa época, mas sabemos como isso é normal.

Um belo dia, quando não podia mais adiar, se lembrou como se sentia realizado quando criava seus desenhos.

Então escolheu uma carreira onde suas criações pudessem ter um propósito e transmitir uma mensagem. Escolheu Publicidade e Propaganda.

2. Foque no que você ama (o quanto antes)

Após terminar o curso, foi em busca do seu primeiro emprego na área. Deixou seu currículo nas agências da cidade. Foi chamado em uma pequena especializada em marketing digital.

V começou a desenvolver projetos, criar artes para os clientes, planejar as campanhas, administrar as redes sociais e aprendeu a criar e desenvolver sites, agregando ainda mais valor no seu papel como designer ao longo de 2 anos.

Mas o tempo foi passando e ele se sentindo deslocado, cansado da rotina, preso às regras de produção da agência. Não estava mais confortável no ambiente de trabalho. Não havia mais aquela empolgação do começo. Estava sobrecarregado, perdido, angustiado e muito ansioso para mudar essa situação.

Queria ter liberdade e ser livre para criar. Fazer as escolhas que acreditava serem melhores para os projetos.

Não aguentava mais ficar amarrado às regras de cada peça que produzia. Queria colocar seu lado extrovertido nas coisas que fazia e diferenciar seu trabalho para os clientes, e não sempre mais do mesmo.

Certo dia, tomou a decisão de trabalhar como designer freelancer.

3. Comece a trabalhar como designer freelancer junto com seu trabalho

V enxergava as oportunidades, diversos clientes que precisam de projetos de qualidade que ele poderia forneceder. Mas também imaginava que não seria do dia para a noite e prudentemente não largou seu emprego.

Sabia que iria começar do zero, sem depoimentos de clientes, lista de e-mails ou presença nas mídias sociais.

Sabia que teria que criar seu portfólio para atrair os clientes. Mas e depois, como vender na prática?

A família e os amigos tentavam ajudar dando dicas como “Faz seu perfil no Workana” ou “Tem muita oportunidade no Freelancer.com”. E V tentou, mas sem experiência, acabava perdendo oportunidades para outros que já estavam há mais tempo nessas plataformas ou reduzia seus preços a valores a ponto de continuar trabalhando para pagar as contas.

Não tinha a sonhada liberdade e parecia que havia trocado 6 por meia dúzia, porque apesar de manter seu emprego, aumentou seus custos de produção ao trabalhar como designer freelancer.

V não queria desenvolver alguns projetos de vez em quando. Não queria apenas sobreviver como designer freelancer, ganhando no limite para suas necessidades básicas. Queria viver da sua paixão ganhando o que merecia.

“É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo” – Antoine de Saint-Exupéry

Como fazer isso dar certo? Como precificar meus serviços? Como atrair clientes que sejam realmente qualificados? Como desenvolver meu funil de vendas?

V sabia que precisava criar conteúdo que ajudasse seus clientes potenciais a conhecerem seus serviços, gostarem de sua pessoa e confiarem que ele seria a melhor solução. Um dia, apareceu em seu feed do Facebook:

Se você quer ir rápido, vá sozinho. Se você quiser ir longe, vá acompanhado” – provérbio Africano.

Então V foi em busca de alguém que pudesse caminhar com ele. Alguém que pudesse ajudá-lo e prepará-lo para a trajetória que estava começando.

Precisava de um mentor. Pesquisou e encontrou um serviço que foi feito para ele, específico para suas dores, e com soluções práticas que começou a aplicar rapidamente.

4. Encontre seus mentores

O livro Maestria de Robert Green explica que existe uma fase criativa-ativa no começou da carreira de todos os mestres em suas áreas. Ela pode ser acelerada com mentores e comunidades de pessoas que pensem de formas parecidas e que tenham os mesmos objetivos.

Quando encontrou a sua comunidade, V conseguiu:

  • Atrair clientes qualificados
  • Construir sua própria audiência
  • Engajar nas redes sociais
  • Produziu conteúdo relevante
  • Começou seu relacionamento via e-mail marketing
  • Criou seu funil de vendas
  • Largou a agência e está bem mais feliz

Agora V vive da sua paixão e pode trabalhar como designer freelancer mais tranquilamento. E com essa conquista pode trazer resultados surpreendentes para seus clientes que o encontram no Google. Começou até a fazer alguns anúncios pagos no Facebook. E já conseguiu vários depoimentos para o seu site.

Sabe que seu próximo passo é criar o seu curso online, um produto digital para pessoas que como ele desejam sair de seus empregos comuns e se tornarem designers freelancers de sucesso. Assim como ele conseguiu ajuda, agora se sente preparado para ajudar outras pessoas.

5. Tenha paciência e coloque a mão na massa

Se você chegou até aqui, já deve ter percebido quem é V.

V vem de VOCÊ.

Se você é um designer freelancer ou criativo empreendedor que enfrenta todos os dias essas barreiras e obstáculos que te impedem de desenvolver o melhor trabalho possível, acredite: você não está sozinho.

Existe oportunidade para todos que estão dispostos a continuarem aprendendo e persistirem no que acreditam. O primeiro passo é andar ao lado de pessoas dispostas a ajudar.

Você acredita que essa história de sucesso foi feita para você? Você acredita que é possível criar essa verdadeira transformação na sua carreira, saindo do zero ou dos poucos clientes que conseguiu para finalmente automatizar o seu processo de captação de novos clientes qualificados, precificar melhor e ter um relacionamento saudável com seus melhores clientes?

“Pessoas normais produzem resultados normais. Pessoas diferentes produzem resultados extraordinários” – José Roberto Marques

Não espere o tempo passar. Faça diferente, não tenha medo de buscar ajuda, e alcance o que você merece.

O ponto principal deste artigo é: não saia do seu emprego até a renda do seu trabalho freelancer superar ou pelo menos poder sustentar você. Um dos principais erros que os freelancers iniciantes fazem é largar tudo.

Quando você tem uma renda fixa, seu trabalho como designer freelancer é melhor porque você não precisa se sujeitar a aceitar qualquer proposta, lutar com clientes e vai evitar muitos problemas no meio dos projetos.

Tenha paciência que com trabalho duro e honesto você vai chegar lá.

E além de se inscrever no Vitamina gratuitamente, entre na lista de espera do Master Designer Freelancer e aprenda como é possível viver da sua paixão, ter uma rotina mais feliz com tempo para a sua família e mais liberdade como um designer freelancer ou empreendedor criativo assim que abrirmos as inscrições para o programa.

Você não está sozinho.

3 comentários

  1. Do you have a spam issue on this blog; I also am a blogger, and I was wondering your situation; we have created some nice procedures and we are looking to trade solutions with others, be sure to shoot me an e-mail if interested.

Os comentários estão encerrados.