Categorias
Blog Variedades

Psicologia do Consumidor

O trecho do filme retrata, pessoas mudas, percorrendo os corredores dispostos de embalagens em um supermercado, a música ambiente de fundo, que além de proporcionar um ambiente mais agradável funciona como mensagem subliminar  a intenção é sempre fazer com que você compre mais.

Em cada canto do supermercado e provavelmente de todos os lugares que você for,  um profissional de marketing e de publicidade já estiveram por ali antes de você e esses caras tem um único objetivo: aumentar as vendas de seus clientes, e embora não seja tarefa fácil, eles geralmente conseguem.

No filme ‘1,99 Um Supermercado Que Vende Palavras’ a cor branca das embalagens, torna-se uma crítica e um aviso, sobre as embalagens coloridas que nos chamam a atenção,  as embalagens desses respectivos produtos, vendem não o produto em si, mas o conceito, e seja por qualquer um dos dois, você acaba comprando, e para eles é isso que importa.

A palavra: VOCÊ, identificada em algumas das embalagens, acompanhada de frases que elevam a auto-estima do consumidor, podem ser interpretadas como o ego consumista, de pessoas vazias de si, enchendo seus carrinhos de produtos, que com qualquer ideologia barata prometem fazer algo pelos consumidores, eles compram os produtos que os elogiam, que prometem carinho e bem estar.

Pode ser o consumidor mais bem avisado, uma hora ele cai, afinal, quem nunca ficou triste e quis correr pro supermercado comprar um chocolate, igual ao da propaganda que o menininho sorridente comia tão feliz?

Agora vou contar um segredo pra vocês, queridos consumidores: Embora delicioso, chocolate não traz felicidade!

Surpreso? Vou explicar. As campanhas publicitárias provavelmente te fizeram esquecer, felicidade é um estado de espírito, assim como os outros sentimentos, mas,  são S E N T I M E N T O S, e não produtos.

Por tanto, quando você for comprar um saquinho de SAZON achando que vem com amor, DESISTA, o máximo que você vai encontrar ali é sódio e corante, o amor está coração da sua mãe, que te ama e prepara a comida com muito carinho, já o fabricante, e o publicitário, amam apenas seu dinheiro, que logo vai pro bolso deles.

Outro detalhe importante do vídeo é o preço, que não é ilustrado, coincidência? Não. O preço não é ilustrado porque é tão forte o que vem estampado na embalagem que o consumidor, acaba muitas vezes ignorando o preço.

Alias, tudo ali dentro, foi minuciosamente estudado para que os produtos saiam das prateleiras, um exemplo prático são os produtos infantis, sempre estão nas prateleiras mais baixas. Já reparou? Sabe porque? Porque, se você for com seu filho ao mercado você esta fu#$!, ele vai alcançar as prateleiras, e vai querer tudo o que elas oferecem porque estão estão estampadas com o desenho animado favorito dele!

Não fique horrorizado, nem pare de comprar Sazon, mas fique consciente.

Aconselho, que a partir de hoje, vá fazer compras acompanhado de psicoterapeutas, e economistas, pra cuidar do seu ego e do seu bolso, e porque minha mãe é psicóloga e meu namorado economista, e eu como publicitária, também amo seu dinheiro.

Se conselho fosse bom ninguém dava, eu vendo, interessados favor entrar em contato por inbox.

Por Luana Kobayashi

Luana Kobayashi, estudante de Publicidade, se completa em suas paixões sensoriais através do amor desenvolvido pela arte.

3 respostas em “Psicologia do Consumidor”

Oi. Gostei muito do post. Realmente há uma série de estratégias comerciais para enganar o consumidor ou, no mínimo, levá-lo a comprar o que ele não está precisando naquele momento. Não de verdade. Mas… não sei se esse espaço é o ideal para fazer esse comentário (não encontrei na Home um formulário de contato), portanto utilizo esse espaço… o texto apresenta alguns “conflitos” gramaticais que me deixaram, como leitor, um pouco desacreditado. Imagino que tenha faltado uma revisão mais acurada. Por favor, não interprete isso como algo destrutivo.

Muito obrigado pelos elogios! Vamos implementar uma página de contato com formulário para facilitar a comunicação e agradecemos a sugestão!

Referente aos conflitos gramaticais, realizamos correções básicas nos artigos de nossos editores a fim de evitar erros maiores. Obrigado pelo apontamento, realizamos mais algumas melhorias. A responsabilidade da concordância e ortografia geral é de responsabilidade de cada editor juntamente com o conteúdo da matéria e mas vamos nos atentar mais a este ponto, fundamental para todos nós.

Entre em contato sempre que puder nos auxiliar.

Obrigado!

Comente: