Categorias
Blog

MNM 8: Porque Mídia, Não Marketing, Compensa – Entrevista com Michele Garbin

No oitavo episódio do Podcast Mídia, Não Marketing, entrevistamos Michele Garbin, redatora, colunista do Vitamina Publicitária a mais de 2 anos e professora do Curso Redação Publicitária com Foco em Produção de Conteúdo.

Você vai conferir:

  • Porque mídia, não marketing, compensa
  • Como é o dia-a-dia de Michele Garbin
  • Como acessar o melhor conteúdo do Vitamina Publicitária
  • Porque mentores podem ajudar você a acelerar seu crescimento
  • Porque confiança é fundamental para vender

Ouça o Podcast Mídia, Não Marketing, abaixo…

[player]

Notas do Show:

Transcrição

DANIEL: Seja bem-vindo ao podcast Mídia, Não Marketing. Esse é o oitavo episódio do nosso show.

Eu sou seu apresentador, Daniel Chohfi, empresário, publicitário e CEO do Vitamina Publicitária, o lugar para você crescer seu negócio como designer freelancer e criativo empreendedor. E hoje estou acompanhado pela redatora, colunista do Vitamina Publicitária há mais de dois anos, e professora do curso Redação Publicitária com Foco em Produção de Conteúdo, Michele Garbin.

Michele seja muito bem-vinda. Como você está?

MICHELE: Olá Daniel. Tudo bem, tudo certo. Obrigada pelo convite. Agradeço a oportunidade. Espero que seja uma conversa bastante produtiva e que traga muitos bons frutos para quem está ouvindo, mas também para nós, porque trocando conhecimento, fazendo essa interligação de ideias, nós crescemos bastante.

DANIEL: Com certeza, Michele. Agradeço a sua presença.

E eu sei que os últimos meses têm sido bastante agitados no Vitamina Publicitária, nós tivemos o lançamento do curso, ontem à noite nós tivemos o nosso primeiro webnar de perguntas e respostas para os alunos do curso Redação Publicitária com Foco em Produção de Conteúdo. Ontem foi quase uma hora de perguntas superinteressantes, foi um prazer poder ajudar os alunos com você, em conjunto com você ontem.

Como que você se sente aí podendo ajudar os alunos dessa forma, Michele?

MICHELE: Eu venho em uma contramão, não é? Nós passamos tanto tempo em uma vida acadêmica, e quando eu ingressei na área da publicidade, nós acabamos sendo muito mais aprendizes do que ensinando alguma coisa. E a prática, ela é muito interessante porque ela permite isso, você aprender coisas que a teoria nem sempre te dá. E aí hoje estar na contramão, estar em uma outra posição de ser alguém que está sendo um mentor para algumas pessoas, que está conseguindo conduzir as pessoas a ter mais conhecimento, a aprender mais, é muito interessante. E ao contrário do que muita gente pensa, esse é um processo que também enriquece quem está ensinando, não é só quem está aprendendo.

DANIEL: Com certeza. Exatamente, é importante para nós, que estamos sendo os mentores dos nossos alunos, e é muito importante para os alunos. Eu sei que na minha jornada eu tenho alguns mentores que realmente fazem a diferença.

Eu estava escrevendo um episódio para o impresario.com.br, da newsletter de curação que eu faço, e dentro desse episódio, dentro dessa news, eu estava escrevendo sobre como é importante você olhar para dentro, para entender qual é o tipo de conteúdo, formato ou a forma do conteúdo, como que você deve tratar.

E aí também ficou claro que não é só olhar para dentro, mas é também olhar para a audiência, então, que é a mais interessada no conteúdo. E existe essa terceira parte, que é o mentor.

O mentor é muito importante, e ele pode acelerar, – essas pessoas que ajudam você -, realmente podem acelerar o aprendizado e fazer a diferença.

Nós tivemos semanas muito boas, não é? Essas últimas semanas. Nós tivemos dois webnars que estão disponíveis para todo mundo, não apenas os alunos, que são os webnars: Como Planejar e Produzir Melhores Conteúdos e As 10 Melhores Ferramentas para Produzir Conteúdo.  Cada um tem cerca de uma hora, uma hora e meia, e deu, para quem assistiu, aprender bastante sobre marketing de conteúdo, não é, Michele?

MICHELE: Com certeza. Nós abordamos assuntos que realmente auxiliam quem está produzindo conteúdo ou quem quer começar nessa jornada, a dar esse primeiro passo, ou a continuar, conteúdos que são realmente práticos, eles não estão só lá na teoria, e eles enriquecem a produção de conteúdo e avançam para esse alcance nessa persona, nesse público-alvo.

DANIEL: Perfeito. O replay desses dois webnars estão disponíveis dentro da área de membros do Vitamina Publicitária, basta acessar vitaminapublicitaria.com.br e fazer o registro gratuitamente.

No webinar Como Planejar e Produzir Melhores Conteúdos, você vai aprender como planejar para escrever melhor e produzir conteúdos que geram resultados, além de “por que produzir conteúdo?”, “a mudança Product Centric para Customer Centric”, “por que internet é a melhor mídia para atrair, reter e converter clientes?”, “como planejar e produzir melhores conteúdos?”, “o que é e como usar um mapa de empatia e buyer persona?”, “por que a jornada do consumidor é fundamental?”, “como iniciar o seu planejamento de conteúdo?”.

E no webinar As 10 Melhores Ferramentas para Produzir Conteúdo, nós passamos sobre alguns conteúdos sobre “as melhores ferramentas de mídia sociais”, “como criar arte sem ser designer”, “a forma mais simples de criar um site de qualidade”, “a melhor forma de criar um site de qualidade”, falamos da Rainmaker Platform, falamos de WordPress, “as melhores ferramentas de e-mail marketing”, falamos de Mailchimp, AWeber, “qual que é o melhor e-mail do mercado.” Então falamos bastante de Google Apps, e mais ferramentas que se você não usa, deveria.

Como eu comentei, tudo isso está disponível dentro da “Minha Vitamina”, que é a área de membros grátis do Vitamina Publicitária, que disponibiliza o acesso a esses conteúdos gratuitos, além de e-books, outros recursos, e o treinamento Mídia, Não Marketing, que já tem mais de três mil alunos inscritos, ensina em oito lições como construir o seu negócio com a internet.

Nós convidamos você acessar vitaminapublicitaria.com.br e se cadastrar gratuitamente para acessar o conteúdo restrito para membros, além de todos os artigos que nós publicamos ao longo de quase sete anos, que o Vitamina vai completar agora nesse ano.

Michele, vamos mais à sua entrevista. Você sempre gostou de ler e escrever?

MICHELE: É, isso é uma história até de infância. Minha mãe sempre diz que ao invés de brincar com as bonecas, eu brincava que eu estava dando aula, eu tinha alunos imaginários. A escrita, a leitura, ela faz parte da minha vida desde muito cedo. E eu encontrei na minha formação, que no caso é Letras, o desenvolvimento dessa paixão. Eu acabei indo para a área de licenciatura, que é a formação que nós tínhamos na época.

Mas eu percebi que só o ensinar, ele não estava me satisfazendo por completo, eu precisava realmente estar com a mão na massa, eu queria escrever, eu queria que as pessoas lessem, eu queria sentir o feedback, eu queria ouvir as críticas, eu queria ouvir os elogios, eu queria estar mais presente nesse sentido nessa produção. E aí quando eu ingressei na publicidade, isso veio realmente para complementar.

Quando eu entrei como redatora, e nós trabalhávamos muito na forma tradicional de se fazer publicidade, eu fui me encontrando aos poucos. Eu fui percebendo que muito além do que as pessoas me falavam, de um design bonito. Claro que ele é importante, ele chama a atenção, mas o conteúdo era o que fidelizava, era o que fazia o olho brilhar, do meu cliente ou do cliente do meu cliente.

Eu comecei a perceber que tinha muita coisa além do que uma chamada, um título, “uma sacada”, como nós dizemos, tinha que ter conteúdo que resolvesse um problema, que desse um aporte para satisfazer desejos, para superar os obstáculos, e eu vi na produção de conteúdo efetivamente essa possibilidade.

A escrita, a leitura, é algo que eu tenho no meu dia a dia, não só por trabalho, é algo pessoal mesmo.

DANIEL: Você sabia queria ser uma professora desde criança, não é?

MICHELE: Sabia.

DANIEL: E quando que a redação publicitária apareceu na sua vida?

MICHELE: Em torno de cinco anos. E eu fui por indicação, na verdade, de uma empresa, e eu trabalhava em um setor de comunicação que já fazia marketing de conteúdo, mas nós não sabíamos que era marketing de conteúdo. O nosso objetivo realmente era, lá no fundo da jornada, era venda.

E nós escrevíamos para blogs, que eram blogs da empresa mesmo, mas nós não entediamos muito bem o que nós estávamos fazendo, nós fazíamos conteúdo em função de palavra-chave porque o objetivo era ser encontrado para vender. De alguma forma, nós demos os primeiros passos, e eu comecei ali.

Mas eu vi que era muito além daquilo. Que o conteúdo em função do mecanismo de busca, ele precisa existir, mas ele não tem que ser a veia principal, ele precisa estar além disso. E aí eu comecei a entender um pouco mais como que a produção de conteúdo tinha que ser mais aprofundada, como que o meu conteúdo tinha que ser melhor, como que eu tinha que melhorar nesse processo.

DANIEL: É, o SEO em segundo lugar, não é? O mais importante é pensar na pessoa que está do outro lado, e não no mecanismo efetivamente.

MICHELE: Porque quando você pensa como a tua audiência, você não precisa daqueles termos já fechados que estão nos mecanismos de buscas, você vai exatamente no que ela quer. E você vai ser encontrado por ela de alguma forma, e, na verdade, de uma forma muito mais fácil, e com a possibilidade de criar um relacionamento muito maior.

DANIEL: Com certeza. Michele, você trabalha na 2OP. Como que é o seu trabalho no dia a dia?

MICHELE: Isso. Nós somos uma agência aqui do oeste de Santa Catarina e nós temos uma equipe relativamente pequena, são nove pessoas, atendemos muitos clientes, e clientes grandes.

E o dia a dia de uma agência, ele não é nunca o mesmo, não é? O que você fez ontem, você não vai fazer amanhã, e muito provavelmente também não fará no próximo dia.

Tem reunião de pauta, o que embasa muito nosso trabalho é a conversa, é a pesquisa, é a referência, é o trocar ideias, porque nós acreditamos que é isso que enriquece uma produção.

Em termos de produção de conteúdo, hoje eu tenho mais uma pessoa na equipe que trabalha diretamente com isso na produção, quando nós começamos, era só eu.

Eu tinha uma demanda muito grande, porque nós sabemos que dá trabalho, nós sabemos que a produção de conteúdo, ela dá resultado, mas ela vem carregada com uma dedicação e um comprometimento muito grande. Hoje eu consigo dividir isso com uma pessoa que está bastante alinhada.

É importante ressaltar isso. Não importa se você está em uma agência, se você faz isso na sua própria empresa, independente do local, se você contar com uma equipe, tem uma equipe que esteja tão comprometida quanto você, – e se possível até mais -, em busca desse objetivo.

DANIEL: Bacana. É um time, jogar bola junto.

MICHELE: Exato.

DANIEL: E vocês dividem as funções? Ou a outra redatora, outro redator, faz um trabalho similar, mas às vezes em projetos diferentes, e vocês se ajudam? Ou não, um faz e o outro revisa? Outra vez o outro faz e o outro revisa? Como que funciona?

MICHELE: Nós estabelecemos essa mudança de “um dia você faz um, outro dia eu faço outro”, “a minha produção eu passo para você, você revisa, você contribui, você dá palpite, e nós vamos melhorando.”

Na verdade, todo processo de produção de conteúdo, ele é compartilhado. Nós trabalhamos juntos na produção, na escolha da imagem, na formatação, na publicação, na disseminação lá para as redes sociais, quando nós vamos trabalhar em uma trilha de nutrição, nós também trocamos ideias.

Um texto, ele nunca é de um autor só, ele sempre tem um processo colaborativo.

DANIEL: Bacana. E se você precisasse elencar o que realmente faz a diferença, o segredo ou o que mais dá resultado nos conteúdos que vocês fazem, seria o quê? Seria ter um bom planejamento? É a persona? É o mapa de empatia? É uma boa conversa com o cliente, que entende o cliente dele? Onde é que está aí o grande diferencial que vocês conseguem aplicar hoje em dia?

MICHELE: Claro que todo processo, ele faz a diferença, mas a primeira conversa, o primeiro contato de você saber que o teu cliente conhece tão bem o cliente dele a ponto de conseguir traçar um mapa de empatia e definir uma buyer persona, é sensacional.

Claro que às vezes nem o próprio cliente sabe que ele tem um cliente ideal, e nós precisamos, com conteúdo, educá-lo para isso. Acontece, isso é muito normal.

Mas, nós termos essa visão dessa audiência, entender como ela se comporta, como ela se comunica, é essencial para você conseguir traçar um planejamento, cumprir o cronograma e conseguir chegar em um resultado.

DANIEL: E vocês fazem a parte de mídias sociais também, vocês da equipe de redação, ou é um outro departamento?

MICHELE: Nós também fazemos.

Na verdade, a parte de estruturação do conteúdo, tudo o que é criação de conteúdo, seja blog, seja outros formatos, seja mídia social, seja e-mail marketing, newsletter, sai tudo do nosso trabalho ali.

DANIEL: Perfeito. Tudo é o conteúdo, e aí espalha para outros meios?

MICHELE: Isso.

DANIEL: Bacana. E você comentou ontem no webinar com os alunos, que já trabalhou em outros sites intermediários de produção de conteúdo. Como que foi isso?

MICHELE: Na verdade, eu sinto que talvez eles eram boas oportunidades, mas não no momento que eu estava, porque eu estava começando, eu tentei, era o meu primeiro passo.

Não é fácil também você credibilizar uma pessoa que não conhece e que está começando em uma jornada, não é? Mas foi interessante para mim, eu consegui crescer com aquilo, e eu vejo que eu cresço muito mais quando eu estou acompanhando uma produção de alguém que também está na área. Nós conseguimos verificar o que você está fazendo de bom, o que você está fazendo de ruim, como que você pode melhorar, o que você não precisa fazer.

DANIEL: Perfeito. E essa é uma pergunta interessante, que eu precisei responder outro dia, eu gostaria de fazer para você. Qual desafio que você superou recentemente, que você gostaria de destacar? E aí pode ser em qualquer área, (logicamente) dentro da profissional, mas dentro produção de conteúdo, mídias sociais, o que você achar interessante compartilhar.

MICHELE: Uma coisa que houve destaque muito grande, que é o próprio curso. Para mim foi uma realização realmente, não só profissional, mas pessoal.

Eu tinha planos, eu não sabia como concretizá-los, eu não sabia que caminho que eu tinha que seguir para torná-los reais, mas eu queria ter um curso, eu queria poder agregar valor na vida de alguém, como muitas pessoas agregaram na minha vida, no meu processo de crescimento, que nunca para.

Quando eu me deparei com essa oportunidade, eu percebi duas coisas assim que foram cruciais. A primeira é que, apesar de parecer difícil, nós conseguimos, precisa dedicação, mas nós conseguimos. E segundo, não é tão fácil quanto parece, ele não é um processo tão tênue, tão linha reta como nós visualizamos, ele tem percalço, ele tem ajuste, ele tem alteração, ele tem dois passos para frente, às vezes um para trás, mas eu consegui. O curso, para mim, ele é um motivo de realização e de orgulho.

DANIEL: Que bacana, fico muito feliz. E o convite não foi à toa. Você é um exemplo de Mídia, Não Marketing. Há dois anos que você produz conteúdo para o Vitamina Publicitária, e você construiu uma audiência, você construiu um relacionamento com a audiência, tem diversos comentários, tanto no blog, como nas redes sociais, falando, “pô, adoro o conteúdo da Michele”, “excelente artigo”, “é isso aí”, enfim, não é à toa. Como que é esse contato com os leitores, Michele?

MICHELE: Nós somos muito imediatistas, nós vivemos em um mundo em que tudo tem que ser para ontem. Construir um relacionamento, criar uma relação de confiabilidade não é algo que se faz do dia para a noite.

Quando eu comecei a escrever, eu ficava ansiada por essa repercussão, eu queria saber o que as pessoas estavam pensando. E eu consegui perceber que esse tempo de maturação, de criar essa confiabilidade, ela é tão importante para quem lê, porque ela vai se identificando aos poucos, mas ela é ainda mais importante para mim, que estou escrevendo. É ali que eu consigo ver por onde que eu tenho que ir, como que eu tenho de fazer, o que eu estou fazendo de errado, que outros caminhos eu consigo traçar diante disso.

E eu consegui, eu tive bons exemplos de pessoas que nós nos conhecemos, vamos dizer assim, pelo Vitamina, pelo conteúdo, que eu criei um relacionamento, troca de ideias via e-mail, que hoje é meu amigo no Facebook.

É um processo que ele te permite, não só crescer profissionalmente, o que é muito interessante, mas expandir horizontes pessoais também, de nós conseguirmos ver outras visões, que quando nós estamos fechados ali no nosso mundo, nós não conseguimos verificar.

DANIEL: É, produzir conteúdo é isso, não é? É colocar você no mundo, colocar a cara no mundo, e é fantástico. E os frutos, como você comentou, demoram para chegar, é algo de médio, longo prazo efetivamente. Eu gosto de falar que é um gigante com pés de aço. Funciona, é algo realmente garantido. Claro que precisa ser feito com estratégia, é garantido quando é bem feito, mas funciona e funciona muito bem.

Na época que eu adquiri o Vitamina Publicitária, tiveram vários colunistas que deixaram de contribuir porque eles estavam com novos empregos. O Vitamina foi a porta para muitas pessoas, muitos colunistas e editores conseguirem novas oportunidades no mercado de trabalho. Nós ficamos realmente muito felizes com isso.

Você é autora de vários artigos, como “5 Mandamentos do Publicitário de Sucesso”, que foi destaque na HubSpot, “3 Séries que Todo Profissional de Marketing Precisa Assistir”, que tem mais de 2500 compartilhamentos nas mídias sociais, “Marketing de Conteúdo (de Verdade) dá Resultado (e Trabalho)”, que é uma referência, e mais uma série de outros artigos.

Michele, como que a produção de conteúdo para o Vitamina, para os leitores que acompanham você, para os alunos, como que isso trouxe mudanças na sua vida?

MICHELE: A minha evolução profissional, ela ganhou uma mola propulsora muito grande com a produção de conteúdo, principalmente para o Vitamina. Por quê? Porque nós nos vemos, “obrigados”, vamos dizer assim, a pesquisar, a estudar, a ler, a confrontar o que nós acreditávamos que era certo e ideal. Hoje eu consigo ter visões sobre determinados assuntos ‘dentro da produção de conteúdo que eu não tinha quando eu comecei.

Eu tenho certeza que se eu estivesse ficado simplesmente no ato de produzir conteúdo, que eu não tivesse me forçado, por exemplo, “ah, eu tenho que saber mais porque eu quero oferecer mais para a audiência”, eu também não teria crescido.

Acho que essa é a forma mais importante e maior que nós temos com a produção de conteúdo. É você poder evoluir ao mesmo tempo que você oferece alguma coisa. Nós não estamos aqui para, digamos assim, para sermos autoridade máxima, claro que isso é importante, mas o crescer quando você ouve uma opinião, ele te leva muito além.

DANIEL: Então agregar valor para depois colher os frutos, ou seja, Mídia, Não Marketing, compensa?

MICHELE: Com certeza. Ele é um processo que você acaba agregando valor, mas você também recebe valor quando você tem um retorno, quando você tem um feedback.

E o que eu vejo ainda é que nós temos uma cultura em que o imediatismo da venda infelizmente, ele ainda reina. Há muitos empresários, há muitos negócios, há muitas possibilidades de crescimento, que eles acabam não tendo essa evolução por conta desse pensamento que ainda não mudou.

DANIEL: É, o que está funcionando é difícil de mudar. Acredito que isso vai começar a mudar mesmo, – já é muito diferente -, mas vai mudar mesmo quando os negócios deixarem de funcionar como funcionavam antigamente, e aí as empresas realmente têm que se reinventar, e as novas já começam inventadas da forma mais correta, digamos assim, publicando conteúdo.

E quando que você decidiu começar a escrever para o Vitamina, Michele? Como que foi?

MICHELE: Na verdade, eu fiz uma lista, eu fiz um processo bem burocrático para a época. Eu fiz uma lista de sites, de blogs, que eram relacionados à publicidade, e que me chamavam muito a atenção.

E eu tinha essa vontade de escrever, de compartilhar a minha experiência para entender como que muitas pessoas talvez também passariam por aquilo ou agregar alguma coisa para as pessoas que começaram nesse caminho. Eu fiz uma lista e eu fui pesquisando quais eram os temas que eu podia abordar.

E como eu sou da redação publicitária, eu comecei a perceber que nós tínhamos pouco referencial nessa área. Eu comecei a perceber que o design, a forma, a imagem, ela tem muito embasamento, mas a redação publicitária em si, ela ainda é uma área que está dando os primeiros passos, ela está quase que engatinhando. E eu senti a necessidade de colocar a redação publicitária no mundo, das pessoas entenderem que ela é tão importante quanto uma imagem bonita.

Eu fui trabalhando, eu fui lapidando uma produção. Uma produção que era assim, se eu te falar, eu não sei quantos processos de revisão que eu fiz, porque eu tenho muita aversão daquela primeira revisão assim, versão 1, versão 2, versão 3, e ali vai. E aí eu consegui me identificar muito com o Vitamina.

A minha primeira ideia foi, “eu vou estabelecer um contato. Se a pessoa me abrir uma oportunidade, eu quero construir uma relação duradoura. Eu não quero escrever um artigo e cair no esquecimento. Isso eu não quero.” E aí, graças a Deus, isso aconteceu com o Vitamina, com a oportunidade que você abriu para mim e que foi porta de entrada para muitas outras oportunidades, com certeza.

DANIEL: Que bacana. Fico muito feliz.

Tiveram diversos editores, colunistas que tiveram poucos artigos, mas artigos importantes, nós agradecemos a passagem de todos eles pelo Vitamina, mas é sempre bacana pensar no futuro, não é? E ver pessoas que realmente querem estar junto em uma jornada e agregar valor aí ao longo prazo.

E como que foi? Quando você viu que os seus artigos estavam tendo uma excelente repercussão com a audiência, você ficou animada?

MICHELE: É. Foi… Na verdade, para mim, os primeiros foram até um susto porque alguns dos conteúdos que eu fui escrevendo, entre o segundo, o terceiro, eu consegui perceber… É claro que hoje nós entendemos que eram métricas de vaidade, mas a quantidade de curtidas lá quando compartilhou o post, ele dá uma sensação de satisfação, de dever cumprido muito bom. Isso nós não podemos negar. Nós nos deixamos levar por essas curtidas.

E aí seguida das curtidas, vieram os compartilhamentos indicando, e aí os comentários trazendo outras visões, às vezes questionando, às vezes elogiando.

E essas observações, elas permitem que o autor, ele sinta o seguinte, “alguém está me ouvindo. Alguém está querendo saber o que eu tenho para dizer.” Isso não tem preço, isso é muito interessante, é muito melhor do que… É como se alguém dissesse assim, “eu estou disposto a te ouvir”, e ser ouvido é algo muito bom.

Nós entendemos que a pessoa, ela está doando tempo, e nós sabemos que tempo é um recurso tão escasso e tão precioso, que não é bem assim, você não desperdiça tempo hoje em dia, não é? Nós temos uma vida tão corrida, que desperdiçar tempo é quase que um crime. Quando nós sentimos que você está tendo essa repercussão, que as pessoas estão querendo saber mais, que as pessoas querem ouvir mais de você, é uma satisfação, um orgulho que nós não temos quase como esconder.

DANIEL: Com certeza, é muito bacana. Mesmo que em um primeiro momento sejam essas métricas de vaidade, como você falou, realmente é muito bacana de se ver, de se ouvir, e aí são comentários depois. Tem desde curtidas, retweets, compartilhamentos, enfim, até comentários, até e-mails, mas o mais importante mesmo é o que você está vendo agora com o curso.

São pessoas que realmente confiam no seu trabalho, confiam no Vitamina, confiam no seu trabalho, e dentre todos os cursos e fornecedores que estão disponíveis no mercado, que não é pouca coisa, as pessoas preferem comprar da Michele, preferem ser alunas da Michele, e isso é muito bacana, realmente é muito satisfatório, não é?

E como que foi quando você viu que o seu artigo foi recomendado pela HubSpot, quando o Vitamina foi eleito como um dos melhores blogs de marketing do Brasil?

MICHELE: O meu primeiro contato com essa notícia foi o teu e-mail citando que a HubSpot havia mencionado o Vitamina, e, na verdade, eu concentrei na informação de que a HubSpot citou o Vitamina, eu acabei não me detendo depois que havia a continuação da informação falando sobre o artigo.

Eu fiquei muito feliz, e eu já comecei a responder o seu e-mail a partir daquela informação, aí que eu me detive ao restante do conteúdo que constava no e-mail, e que eu vi que era um artigo meu.

E aquilo, na hora, assim, meu olhou brilhou e eu pensei, “alguém está aproveitando o conteúdo que eu estou informando e eu não posso parar com isso”, e pensei, “se algumas pessoas já estão me referenciando, eu preciso crescer para oferecer ainda mais, para agregar ainda mais valor para essas pessoas.”

Nós sabemos da grandeza da HubSpot, de como isso faz a diferença, até em questão de currículo. Que hoje nós temos uma questão de indicação muito grande, e você ser indicado por alguém que já é uma referência, é um passo muito grande.

DANIEL: Com certeza. E são pessoas que, não só estão no mercado, mas que estão nas agências, estão nas grandes ferramentas. Isso é muito importante, e com o reconhecimento, isso é muito bacana.

Vira e mexe aparece alguém que eu comento, “tenho um blog, tal”, “ah, como é que chama?”, “é o Vitamina Publicitária”, “pô, conheço, adoro, sempre vejo.” Agora com o alcance menor do Facebook, gira aí 1, 2, 3, 4%, é realmente muito baixo, nós não chegamos a atingir os 220 mil seguidores, fãs que nós temos na página, mas antigamente, quando nós tínhamos menos fãs, mas o alcance era muito maior, nós conseguíamos ver mais isso.

Awareness is not the goal, então realmente a atenção não é a meta, mas ela é importante. E mesmo que seja em um primeiro momento, nós tínhamos um pouco mais.

Agora nós temos uma profundidade maior com a audiência. Quem está conosco realmente abre os e-mails, lê os e-mails, compra, mesmo que não seja um aluno, não faça parte dos nossos programas pagos, faz parte do curso grátis que nós temos, o treinamento Mídia, Não Marketing, que tem mais de três mil alunos, e isso é muito bacana, e cada vez mais nós vamos vendo esse resultado.

Você escreveu o artigo “Manual do Futuro Redator, 11 Frases para Pensar Redação Publicitária”, sobre o livro com o mesmo título, Manual do Futuro Redator, de Sérgio Calderaro, que foi citado até pelo próprio autor. Como que foi isso, Michele?

MICHELE: Eu acompanho muito a repercussão que a postagem do blog tem na rede social. Isso eu gosto muito de fazer. Eu gosto de estar ali, de curtir, para a pessoa saber que ela não está compartilhando por nada, é uma forma de agradecimento pela citação.

E acompanhando esses compartilhamentos e acompanhando esses comentários, eu acabei me deparando com um compartilhamento, e, por consequência, com o comentário, do autor do livro, e aí eu me senti muito honrada e eu fui lá e curti.

Quando eu curti o compartilhamento dele, ele me adicionou no Facebook, ele me chamou para conversar. Ele disse, “olha, muito bacana. Obrigado pela referência. Gostei muito da análise que você fez.” E nós acabamos trocando ideias, e eu cresci muito nesse processo.

Quando eu acabei citando ele, ele me agradeceu pela citação, mas ele mal sabe que, na verdade, o agradecimento vem de mim, eu tenho muito a agradecer por ele, porque a conversa que eu estabeleci com ele me permitiu ter uma visão muito melhor da redação. E o livro é fantástico, eu super-recomendo.

DANIEL: Eu estou com ele aqui. Foi a Novatec que enviou para nós, e eu vou até colocar o link do livro nas notas aqui do show.

E aí você tem contato com a Novatec? Não sei se outras editoras aqui pelo Vitamina, mas vira e mexe alguma editora entra em contato com a gente, quer enviar um livro. Eu te coloquei em contato foi com o pessoal da Novatec.

E como que está esse (pé)? Tem algum outro livro aí na pauta para nós? Algum release? Como que está isso?

MICHELE: Eu estou lendo o Marketing na Era Pós-Digital, que é fantástico, é um livro que virou livro não só de cabeceira, mas de mesa também, porque ele traz ensinamentos muito importantes, ele traz lições, mas ele traz uma visão desse pós-digital, que nós não estamos mais vivendo essa era digital, nós já estamos no pós-digital. De como que, tão importante quanto o retorno sobre o investimento, é o retorno sobre o aprendizado, é o agregar valor. Em miúdos é a gente dizer, “tua audiência não vai se importar de pagar mais se você realmente agregar algo novo, se você fizer uma contribuição de valia para a vida dessa pessoa.” É um que eu estou na metade da leitura, mas ele com certeza vai ter um lugar nos próximos posts.

DANIEL: Que bacana. Que bacana, deve ser excelente. Tem um que está na fila aqui.

Eu tenho lido menos o livro físico, eu tenho lido bastante no Iphone, uso o Ibooks. E tem um aqui que eu acho que ainda não foi lido porque é o físico e não consigo estar sempre com ele, que é o Marketing Ágil, se eu não me engano também foi enviado pela Novatec.

E é assim, o começo dele é excelente, eu estou louco para continuar, dar continuidade, muito interessante, fazer mais na prática.

Mas um que eu estou lendo é o Scrum, também é referente a desenvolvimento ágil, mas eu acredito que seja até uma base para o desenvolvimento do marketing ágil, esses conceitos de ágil vieram aí do Scrum. E ele fala como que o FBI desenvolveu o sistema novo deles, que foi com a uma nova metodologia. Depois de bilhões gastos, não se conseguia mais desenvolver algo funcional, algo que realmente fizesse a diferença, e aí eles tiveram que desenvolver uma nova metodologia. Digamos que a coisa não estava funcionando, eles fizeram content marketing, fizeram inbound marketing, e aí começaram a ter retorno com o desenvolvimento deles.

Alguma outra indicação de livro que você tenha?

MICHELE: Uma indicação que foi tua, e que eu repasso, que é o Neuromarketing, fantástico, aplicado à redação publicitária. Ele traz uma análise, ele traz um conteúdo tão importante para quem é produtor de conteúdo, falando de gatilhos mentais, falando do subconsciente. Que esse é quase que leitura obrigatória se você quer ter uma produção de conteúdo bem-sucedida. Vale muito a pensa ler. Gosto muito.

Também ler o Criatividade S.A., que retrata a história da Pixar e depois da Disney, pelo seu fundador, pelo Edwin Catmull. Que ele, ao mesmo tempo que ele traz uma história, – e aí você se vê muito na história porque com certeza as pessoas acompanham os longas-metragens da animação -, mas ele traz lições de empreendedorismo e que podem ser levadas para a produção de conteúdo, que também são bastante enriquecedoras.

DANIEL: Que bacana. Você viu Procurando Nemo, aliás?

MICHELE: Sim.

DANIEL: E agora vai ser lançado o filme da Dory.

MICHELE: Isso, isso. O trailer também já está causando bastante furor entre as pessoas porque eu já vi vários artigos trazendo análises dos personagens.

É muito interessante porque nós conseguimos entender isso, que uma crítica de um filme, – e eu digo crítica que qualquer pessoa que opine sobre ele -, ele é uma persona, ele está reagindo a um conteúdo que foi oferecido para ele. Nós, mais do que nunca, estamos vendo que o conteúdo é rei.

DANIEL: Tem uma palestra no TED, que é do escritor mesmo do Procurando Nemo. E, não sei se você já viu, mas ele fala sobre storytelling, e é fantástica.

MICHELE: Eu não cheguei ver, mas eu ouvi falar. Já está na minha lista também.

DANIEL: Vou colocar também aqui nas notas do show.

Bom, nós estamos com as inscrições abertas por tempo limitado no Vitamina Publicitária do curso Redação Publicitária Com Foco em Produção de Conteúdo. Michele, você gostaria de falar sobre o curso?

MICHELE: O curso, ele é um manual, mas não é um manual fechado para produção de conteúdo. Ele é interessante por quê? Porque nós abordamos muita coisa da preparação, da produção e do pós-produção. Você tem todo o processo de como guiar essa produção de conteúdo, e você consegue verificar esses processos para os passos seguintes, para realmente deixar eles melhores, para desenvolvê-los, para conseguir aprofundar eles. Nós temos três módulos que são bem completos.

O primeiro módulo fala tudo sobre a questão da criação dessa buyer persona, nós falamos bastante do planejamento, do cronograma, de como que eu vou dividir esse meu trabalho se eu tenho uma equipe. Ele também aborda durante a preparação, os 10 passos para você conseguir um blog post de sucesso, que ele realmente traga o resultado que você precisa e que você espera, mas como nós sabemos que não é só publicar, nós temos que dar continuidade à essa publicação. Nós temos os diferentes formatos de conteúdo, a disseminação, essa análise depois que está publicado, como que eu tenho que fazer.

Ele é completo porque ele contempla todo esse ciclo da produção, e que ele nunca termina e que ele nunca para também.

DANIEL: Legal. Você falou dos módulos e tem também exercícios práticos, e a consultoria online para ajudar os alunos.

Ontem nós tivemos o webinar de perguntas e respostas. Nós coletamos perguntas dos alunos e respondemos a essas perguntas ao vivo, online, e o pessoal consegue acessar também o replay. Inclusive, se você não faz parte do curso, você pode fazer parte e assistir o replay. Não é porque você não viu ao vivo que você está perdendo alguma coisa.

E o preço vai subir novamente em breve. Nós vamos encerrar as inscrições, e antes disso, nós aumentamos o preço, depois nós vimos com uma nova turma, vimos com a segunda versão, a versão 2.0, com um preço consequentemente maior.

Quem tiver interesse é só acessar vitaminapublicitaria.com.br/redacao, sem o Ç e o tio, redacao, vitaminapublicitaria.com.br/redacao, e inscrever-se ainda hoje.

Nós estamos encerrando essa entrevista com a Michele Garbin. As notas do show estarão disponíveis aqui no Vitamina Publicitária.

Michele, você gostaria de adicionar mais alguma coisa?

MICHELE: Eu quero convidar, na verdade, o pessoal a continuar acompanhando o nosso conteúdo do Vitamina. E eu quero dizer que vem muita coisa boa por aí. E quero que você leve isso também para a sua estratégia, que você nunca pare e que você deseje sempre poder fazer mais e melhor, porque agregando valor na vida de uma persona, – e aí aqui nós falamos não só no âmbito profissional, mas no âmbito pessoal também -, é que nós conseguimos nos tornar uma autoridade, uma referência, e que nós conseguimos crescer também. Que nós vejamos a produção de conteúdo muito além de uma profissão ou de uma estratégia. É quase um estilo de vida que ele pode levar muita gente ao sucesso e pode fazer isso por você também.

DANIEL: Perfeito. Mídia, Não Marketing. Michele, quem quiser achar você, faz como?

MICHELE: Tem o meu e-mail, pode me escrever, eu adoro ler e-mail, adoro ler e-mail, gosto muito, me escrevam, é [email protected] Facebook, Michele Garbin. Linkedin, estou lá, só me mandar uma mensagem que nós trocamos uma ideia.

DANIEL: Michele, muito obrigado pela sua presença. Foi realmente uma honra.

Obrigado a você que passou esse tempo conosco. É uma honra ter você aqui conosco também. Vejo você no próximo episódio, com uma próxima entrevista que você não vai querer perder. Michele, muito obrigado. E até a próxima.

MICHELE: Muito obrigada, Daniel. Obrigada, pessoal, pela atenção de vocês, e até.

Por Daniel Zollinger Chohfi

Daniel Zollinger Chohfi é empresário, publicitário, e ajuda empreendedores a construírem seus negócios com a internet.

Há mais de 15 anos no mercado, já foi dono de agências de marketing digital no Brasil, morou nos EUA, e é editor-chefe do Vitamina Publicitária, eleito como um dos melhores blogs de marketing pela Hubspot. Recentemente foi destaque na Copyblogger, considerada a bíblia do marketing de conteúdo pela VentureBeat.

Comente: